Futebol social-Brasília

PAPO DE PRIMEIRA COM WEVERSON MOREIRA.

É Craque que chama né?

Weverson Moreira

Em um bate papo com nosso craque de Samambaia que agora está profissionalmente no time de base sub 20 do São Paulo FC o Weverson, ele fala sobre sonhos, metas, realidades e lembranças, confira…

Olá amigos do Shalke, hoje venho contar para vocês a história de um garoto que antes era apenas um menino comum e tinha um sonho de se tornar jogador profissional, e que menino travesso, não é que ele conseguiu! Eu estou falando do Weverson Moreira da Costa, vocês devem conhecer… o Weverson que agora é jogador do São Paulo na categoria sub 20. Ele começou sua história treinando aqui pertinho de vocês, na samambaia.

Weverson foi chamado recentemente pelo Tite – treinador da seleção brasileira – para treinar a fase da preparação da copa do mundo de 2018 com a seleção e ao lado de grandes craques da bola como Neymar e Gabriel Jesus. Mas isso foi com muito esforço e dedicação, o que vocês têm que ter de sobra! Mas vamos deixar que ele mesmo nos diga como é essa sensação.

SHALKE: Oi Weverson, tudo bem? Gostaríamos de saber primeiro, qual a sensação de treinar ao lado de craques e referências?

WEVERSON: Até agora não caiu a ficha né, acredito que vai cair só quando eu apertar as mãos deles (risos). Mas a alegria é muito grande de ser lembrado pelo Tite e por ter essa oportunidade de treinar ao lado dos meus ídolos, só tenho a agradecer a Deus!

Weverson Moreira

S: Mas esse é o sonho de todo mundo né, principalmente de jogadores… Por falar em sonho, você sabe que o sonho dos m

eninos que jogam aqui na Samambaia é ir além, chegar onde você chegou, como foi sua trajetória? Desde o início até agora?

W: Eu sei que na Samambaia tem muitos jogadores bons, graças a Deus estou sendo um menino focado e determinado no meu sonho, mas não sou ninguém ainda e estou sonhando com os meus sonhos cada dia mais! Eu comecei no naturezinha, a época adversário do Shalke, fui para o Brasília futebol academia e hoje estou no São Paulo FC.

S: Não diga que você não é ninguém! Você sabe que você é, digamos, ídolo dos meninos daqui né? Isso atrapalha no seu caráter? Como você equilibra fama e vida social?

W: Eu sou muito novo ainda sabe, mas estou amadurecendo a cada ano que passa. Sei que tenho que tomar muito cuidado com o que as pessoas falam. Aí em Brasília, o Weverson jogador fica em São Paulo. Ajo naturalmente, solto pipa, brinco com meus amigos, jogo bola na quadra, aproveito minha infância (risos).

Weverson Moreira

S: Conte-nos uma história que você lembra quando jogava aqui.

W: Teve um dia que ia jogar Shalke e Naturezinha, minha categoria ia jogar contra, só que eu jogava na categoria de cima porque eu era muito diferente dos meninos de baixo, só que o Farion não queria e liberou para eu jogar só cinco minutos, aí no meu primeiro lance fiz o gol (risos), aí o Farion não me deixou jogar mais.

Para finalizar, a entrevista com o craque da bola que é de Samambaia como vocês, eu fiquei sabendo que ele jogou algumas edições da Copa SHALKE, que esse ano fez Dez anos. Aproveitei e fiz uma pergunta para encorajá-lo a continuar lutando pelos seus objetivos.

S: Você tem algo para falar aos meninos daqui?

W: Primeiramente, são poucos os que conseguem, então para você ser esse escolhido, você ê tem que ser “o escolhido”, você tem que ser diferente dos outros, não tem que agir igual. Tem que ter fé em Deus, porque todo dia tem alguém querendo te derrubar, para conquistar o que todos os atletas de Brasília querem tem que ser diferente dentro e fora de campo, com humildade, foco, muita determinação e muito trabalho.

Esse foi o nosso bate-bola. No final de tudo tem que ter sonhos, determinação e agir com responsabilidade. Obrigada ao Weverson, sucesso. E sucesso aos meninos do Shalke e da Samambaia.

Por: Lívia Soares
Fotos: Disponíveis nas Redes Sociais e no arquivo do arquivo do Shalke.

Futebol social-Brasília

AGORA O FUTEBOL FEMININO TEM DIA, HORA E LOCAL!

futebol-femininoFoi pensando, buscando e planejando juntos que agora a parceria Shalke12 e Mavericks firmou. Estamos lançando hoje o projeto “Juntos Pelo Futebol Feminino – Somos Todos Shalke Mavericks”, a ideia é oportunizar e incentivarem a todas as apaixonadas por futebol de Samambaia fazerem o que gostam. Tornar acessível a prática. Serão dois núcleos para realização das atividades, buscando os níveis de iniciação, intermediária e o avançado (alto rendimento). Nada disso, seria viável se não tivesse um grupo de trabalho disposto a tornar as coisas acontecerem. Por isso os colaboradores e parceiros de ambos os projetos aderiram a ideia da união.

A partir do dia (18), crianças, jovens e adultas interessadas em iniciarem uma atividade de futebol gratuita. Devem buscarem os coordenadores dos núcleos, para as orientações de acesso as atividades oferecidas. Acessem os canais de comunicação das redes sociais e no site www.shalke12.org .

Serão oferecidos as modalidades de futebol de campo, futsal e fut7, as vagas são limitadas, os dias e horários são: segunda a Quarta, as 19h30 no Caic Helena Reis; Quinta, às 19h30 no campo da quadra 310 sul e 608 norte (semana alternada) e ao sábado, as 10 horas no campo da quadra 311 Sul.

Venha conhecer o nosso projeto de futebol feminino. Faça uma aula experimental. Juntos pelo futebol feminino. Somos Todos Samambaia.

Futebol social-Brasília

“DESAFIOS E METAS” COM MARCOS CARVALHO

Nos dias atuais, com a explosão da era tecnológica que estamos inseridos, é comum encontrar pessoas que dizem viver na correria. Hoje, fazer duas ou mais tarefas é normal, basta ter um aparelho de celular na mão. Aqui no quadro “DESAFIOS E METAS”, com Farion Souza, pessoas que fazem a diferença, não irão passar despercebidas, pois, temos olhares atentos. Aqui você encontrará um bate papo descontraído, relacionado a promoções de eventos, projetos são referência, idealizados por pessoas que fazem a diferença através do esporte. Aos nossos leitores e seguidores, peço a compreensão e sugestões para este quadro. Saibam que a busca pelo melhor, será sempre constante. Desejo que curtam, comentem e compartilhem bastante o nosso blog. Com vocês, nosso primeiro convidado do quadro “Desafios e Metas”.

marcos-carvalho-vice-presidente-e-diretor-técnico-da-Liga-Candanga

Quem é você?

Marcos Carvalho… atual vice-presidente e diretor técnico da Liga Candanga.

  1. Qual a expectativa da organização na 28ª edição em 2018.

Nossa expectativa sempre é muito boa. A competição cresceu muito nos últimos anos. As equipes têm se tornado cada vez mais competitivas… esperamos sempre poder atender às expectativas das equipes oferecendo uma competição de qualidade com os diferenciais que a Liga sempre oferece.

  1. Qual foi a edição que mais marcou a organização.

A 24ª (XXIV) foi até o momento a edição que mais nos marcou, pois foi bela que conseguimos o patrocínio do BRB para tirarmos do papel um sonho antigo que foi a realização do ALL STAR FUTSAL. Um evento marcado pela realização de jogos entre os melhores atletas da competição… disputa de pênaltis, Shootout, chutes de precisão… rei do drible… embaixadinhas e outras provas.

  1. Qual a maior dificuldade na realização?

A maior dificuldade sempre é a financeira. O valor que cobramos de inscrição das equipes é insuficiente para custear os gastos que a Liga tem. Ou seja, a Liga oferece uma qualidade de evento incompatível com o valor das inserções. Para que a qualidade não caia, necessitamos sempre de patrocínios e apoios como a secretaria de esporte por várias vezes já nos deu. 

  1. Quando foi seu primeiro contato com o Shalke12?

 O primeiro contato ocorreu a aproximadamente 1 ano, quando a equipe Talentos ingressou na liga e fez uma parceria com o Shalke 12. Foi nesse momento que passamos a ter conhecimento do trabalho de ambas as instituições. 

  1. Este mês estamos completando 10 anos de história, poderia fazer seus votos a nossa entidade que terá participação inédita na sua competição.

10 anos de história…não é para qualquer um. Necessita-se de muita garra e perseverança para avançar nos anos e manter um projeto tão importante como esse, porém com poucos recursos e pouco incentivo. Como gestoras da Liga Candanga fazemos votos que o projeto cresça cada vez mais. É importante para nós que as equipes se fortaleçam, pois, a Liga não é nada sem os clubes. Clubes fortes fazem uma Liga forte.

  1. Qual é o seu sonho.

 Eu sou um apaixonado pela modalidade. A 16 anos trabalhando com futsal, conquistei muita coisa boa e muita coisa importante como técnico e agora na Liga Candanga tenho o sonho de fazer desta Liga a mais forte do centro oeste. Tornar uma competição uma referência nacional em categorias de base. Conseguir apoiadores grandes para poder dar cada vez mais qualidade a competição.