COMO OS ALUNOS DO SHALKE ESTÃO TREINANDO DURANTE A QUARENTENA?

Ryan Pablo treinando na quarentena

Por: Lívia Soares
Com a colaboração de Rebeca Muniz e Farion Souza

Reinventar é a palavra do momento e com os alunos do shalke não está sendo diferente. As aulas foram suspensas neste período e eles procuraram outra forma de interagirem, através do jogo Free fire eles se reúnem online e participam de competições simultâneas.
Mas e o futebol? Como estão fazendo para treinar e não perderem o pique da bola?
“Devido a pandemia é meio complicado, mas faço alguns exercícios físicos, abdominais, flexões. Tento não desfocar o máximo para não deixar de treinar e assim continuar com a rotina durante a quarentena.” Diz Layzon Rian, 17.
A paixão pela bola continua entre os jovens e é isso que os motivam a treinar em casa. Apesar de não ser obrigação, eles treinam por amor.
“Eu sou bem flexível em relação aos treinos na quarentena. Recomendo aos alunos fazerem entre 30 a 60 minutos de atividades diárias. A Disciplina no treino será o divisor de águas no momento da prova, ou seja a participação nas competições. Quem quer faz acontecer, o contrário disso, arruma desculpa.” Afirma Farion.
Com as quadras e Campos fechados, se destacar no time pós quarentena será um desafio. A diferença para o aluno, será como foi o empenho durante os dias que ficaram em casa.
É importante não parar e se adaptar a situação, visto que esta, é uma época que todos estão de uma certa forma desacelerando a rotina.
“Ryan treina em casa e faz trabalho específico com Personal. Treino com bola, agilidade com cones. Chute a gol uma vez na semana. Os treinos são toda segunda, quarta e sexta feira a noite, durante uma hora e meia no máximo.” Afirma William, pai do Ryan Pablo de 10 anos que joga pelo shalke na categoria sub10.
Diante dessas informações, já sabemos quem irá sair com a bola no pé no próximo jogo né? No futebol, o que vale é se dedicar em qualquer época para poder se destacar.

SHALKE-XII NOS JOGOS VIRTUAIS EM TEMPOS DE CORONAVÍRUS

Repórter: Élton Skartazini

Criada em abril de 2008, pelo educador social Farion Souza, a Comunidade Esportiva Shalke-XII, de Samambaia/DF, atende hoje cerca de 200 crianças e adolescentes, entre 5 e 17 anos, com atividades recreativas, especialmente o futebol. O objetivo é tirar esses menores das ruas e da ociosidade, lhes proporcionando inclusão social e cidadania. Porém, nesses tempos de pandemia ‘a bola não rola’, mas a vida segue…

Então a Comunidade Esportiva Shalke-XII largou o futebol, temporariamente, aderindo a uma nova modalidade recreativa, igualmente envolvente, praticada no isolamento social: jogos eletrônicos. O projeto ‘Shalke Gamer’ iniciou em junho de 2020 e já realizou dois jogos internos, mobilizando dezenas de membros dessa comunidade, acompanhados por seus entes, aderentes ao ‘Free Fire’, envolvendo toda a família.

Divulgação: Interno de Freefire do Shalke 3ª edição –

Hoje o projeto ‘Shalke Gamer’ oferece, mensalmente: dois jogos internos à comunidade, na 2ª e na 4ª quarta feira de cada mês, às 20h; um jogo externo, a tod@s simpatizantes desse jogo, no último sábado de cada mês, às 18h. As inscrições são feitas pelo whatsapp (61) 9 8402.1683 (Farion Souza) e custa R$ 10,00 por jogador. Para assistir, acesse o canal thebestgamerafamilia (youtube), ou o @shalkexii.

Chamada do evento – Camp Free Fire – Brasília/DF

Além dos jogos eletrônicos a Comunidade Esportiva Shalke-XII mantém campanhas de distribuição de alimentos, remédios e agasalhos, para instituições e pessoas carentes. “Promovemos a solidariedade, juntando a vontade de doador@s à necessidade d@s que precisam. Quem puder ajudar, entre em contato pelo whatsapp (61) 9 8402.1683. Doações em dinheiro são pelo https://shalke12.apoiar.co/ ” , informa Farion Souza.

Shalke Gamer – Serviços

Jogos Internos – 2ª e 4ª quarta feira de cada mês, às 20h

Jogos Externos – último sábado de cada mês, às 18h

Transmissão: @shalkexii (instagram) e thebestgamerafamilia (youtube)

Inscrições e apoios: (61) 9 8402.1683 (Farion Souza)

Doações: https://shalke12.apoiar.co/

CONFIRA ALGUNS MOTIVOS PARA UMA MULHER JOGAR FUTEBOL

Por: Lívia Soares

O futebol feminino sempre esteve presente na história do Shalke12, mas no início, houve um bloqueio muito grande para equipe, pois o Shalke12 não conseguia montar um time só de mulheres (jovens e crianças), elas jogavam com os homens.
Isso acontecia por diversos motivos: por disponibilidade das alunas, distância, horário, porque as aulas são noturnas e dentre outros.

“O Grupo das meninas começou a aumentar a partir de 2017 com a realização da Taça das Favelas, foi um trabalho de divulgação da grande imprensa e das poucas alunas do Shalke12. Conseguimos reunir aproximadamente 20 meninas para competir a Taça das Favelas naquele ano.

Desde então o grupo teve uma renovação, ainda permanecemos com aproximadamente 40 meninas, participamos novamente da Taça das Favelas em 2019, ficamos entres as 4 melhores da competição. Logo, tivemos a oportunidade de participar do Campeonato Brasiliense de Futebol 7, onde nos consagramos Campeões na primeira edição.” Relata Farion Souza fundador do Shalke12.

Diferente da história do futebol brasileiro, as mulheres sempre foram valorizadas e muito bem acolhidas na equipe, atuando, participando e principalmente, jogando.
“Eu sempre tive simpatia pelo futebol feminino, é perceptível que as meninas não tem a mesma atenção como no masculino no cenário local e nacional. Desde o início do Shalke12, temos a modalidade feminina e ainda tem algumas pioneiras que jogam até hoje, a Carol (22 anos) é uma delas.” Diz Farion.

A história do futebol brasileiro feminino é de resistência e luta. Um dos fatos marcantes é que foi proibido em 1941 para mulheres, porque era considerado um esporte apenas para homens, esse período de proibição durou 38 anos. Porém, hoje em dia, é comum encontrarmos muitas mulheres jogando, o Shalke12, por exemplo, é uma equipe que oferece essa oportunidade. Um dos objetivos principais do projeto é tirar as crianças e os jovens das ruas para praticar um esporte. E não é uma equipe limitada apenas para os homens. Além de ajudar no condicionamento e saúde física, o futebol, pode também ser uma forma de terapia e superação nos momentos difíceis para quem joga.

“ Teve um momento da minha vida, que eu estava passando por muita crise de ansiedade, nesse momento eu estava meio afastada dos treinos, e foi quando o Shalke12 me ajudou bastante em relação a isso, depois que voltei a treinar, melhorei bastante e hoje eu digo que o futebol é um dos melhores esportes.” Desabafa Caroline de Souza, ela joga como pivô no futsal e atacante no futebol de campo.

Assim como muitas mulheres, a Carol já sofreu preconceito dentro do futebol e já pensou em desistir. Ela joga no time desde os 11 anos e atua até hoje, com 22.
“Já me disseram que futebol não é coisa para mulher, que não dá futuro.” Afirma.
Porém isso não foi motivo para a desistência. Atualmente, o projeto já tem uma equipe feminina completa.

Depois de tanta luta e resistência para as mulheres dentro do esporte, ainda hoje podemos encontrar esses comentários. Mas, o objetivo do Shalke12, é de fato, dar visibilidade para todos que queiram participar. Se você quiser conhecer a história do projeto, basta navegar no site.


FESTA DAS CRIANÇAS E AÇÃO ENTRE AMIGOS, UMA COMBINAÇÃO DE SUCESSO.

Foto de encerramento.

A festa das crianças acontece anualmente, um sábado após o dia oficial das crianças. Esse ano, uma das novidades foi a ação entre amigos.  Esta iniciativa tem como objetivo ajudar com custos do dia a dia do projeto, desde material de limpeza, inscrições em competições, uniforme para alunos sem condições, cesta básica, itens de primeiros socorros e outras necessidades.

Sendo assim, o shalke foi em busca de pessoas que pensam em fazer o bem sem olhar a quem, pois é um lema que faz parte da missão. Com a Participação da iniciativa privada, que é de fundamental importância para o sucesso da ação e principalmente da sustentabilidade do projeto.

Nesta primeira edição fomos agraciados com prêmios para sorteio são eles: cesta de café da manhã da floricultura Jesus Presentes, uma troca de óleo do Centro Automotivo JS, um bolo temático da Carmem Bolos, uma furadeira do Feirão da Construção e uma Bicicleta da Pró Ciclo Bike.

Futebol de Sopro.

Neste ano, Bruno Lopes e o Curumim Cultural participou pela segunda vez da festa. Este é um projeto com a iniciativa que resgata os jogos e brincadeiras tradicionais de rua. Para ficar bem delicioso evento, teve a tradicional e deliciosa mesa de café da manhã, organizada pelas famílias assistidas, amigos, parceiros e simpatizantes da causa e do Shalke.

O sorteio foi realizado às 10h, os ganhadores foram o Fábio (troca de óleo), Renata Sabrina (bolo temático), Necy Cardoso (cesta de café da manhã), Marcelo Gomes (bicicleta) e Janaina Santos (furadeira).

Além de todas as novidades, a comemoração recebeu a visita do Dr. Gustavo Aires administrador de Samambaia e sua equipe. Na oportunidade foi ressaltada a importância dessa proximidade juntos aos projetos sociais que oferecem oportunidades recreativas gratuitas e da revitalização destes espaços públicos voltados para a promoção do esporte, cultura e lazer.

Visita do Dr. Gustavo Aires, atual administrador de Samambaia.

Dessa forma a Festa das crianças 2019 ficou marcada na memória das crianças e da comunidade. A Nossa homenagem nunca passa despercebida.

A Gratidão aos colaboradores (voluntários) pela dedicação, os parceiros pela confiança, aos amigos pela presença, todos sem exceção tem sua parcela de importância. Saibam que vocês fazem parte desta linda história.

Os Melhores momentos da FESTA DAS CRIANÇAS, você pode conferir em nossa galeria de fotos. Acesse o link – https://photos.app.goo.gl/3ynz5qCXZmLwdcwi7 créditos da voluntária Rebeca Muniz.